A segurança de rede atual

Compartilhe:

A segurança de rede passou a ser muito mais do que um simples serviço que faz parte da Tecnologia da Informação. Ela passou a ser considerada uma área muito mais ampla, adotando um mapeamento completo dos mecanismos de segurança presentes na internet.

O objetivo principal é controlar ameaças digitais e proteger dados pessoais ou de empresas, garantindo sua integridade. E no artigo de hoje, vamos discutir sobre quais são os processos necessários para que esse mecanismo funcione de maneira efetiva.

Mecanismos de segurança

Provavelmente você já sabe que a maioria dos mecanismos de segurança demandam de uma infraestrutura de apoio que em geral possui alta complexidade de gerenciamento. Com isso, o ideal é priorizar tecnologias que
possam compartilhar infraestruturas comuns.

Além disso, deve-se escolher softwares e hardwares de alto nível, uma vez que isso interfere diretamente na capacidade de proteção da rede.
É importante não economizar na hora de investir nesse tipo de recurso, afinal, as perdas geradas por falhas de segurança podem trazer prejuízos irreversíveis.
Mas atenção! Infelizmente, investir em equipamentos e protocolos não garante proteção total, afinal, a segurança digital não é composta apenas por esses elementos.

O que determina o sucesso é saber como administrar todos
os recursos computacionais através de uma política de segurança bem definida. Realize manutenções constantes na rede para evitar ao máximo falhas de segurança.

Responsáveis indiretos

Há outras funções que apesar de não ficarem em evidência, também são responsáveis por garantir a proteção da rede. Um exemplo disso, é o setor de suporte operacional, que é responsável por lidar com os problemas que possam surgir no sistema, tendo um papel fundamental para que a estratégia seja aplicada com sucesso.

Fatores presentes

Há alguns fatores que facilitam ou inibem a segurança de rede, tendo grande impacto no desempenho da estratégia montada, são eles:

Facilitadores da segurança de rede

  • A observação dos padrões e normas de segurança no uso dos recursos disponíveis;
  • Ter canais abertos entre os colaboradores e coordenadores para o levantamento de pontos a serem melhorados dentro do sistema;
  • Possuir uma equipe pró-ativa, que esteja atenta aos detalhes e se dedique a estudar o sistema e suas falhas.

Inibidores da segurança de rede

  • Líderes que não permitem a participação ativa dos funcionários no momento de reavaliar o plano de ação;
  •  Falta de controle sobre a utilização dos recursos, tanto de software, quanto de hardware;
  • Não investigar à fundo falhas e não ser flexível quanto ao organograma.

Planejamento é essencial

Antes de iniciar de fato a implementação do sistema de segurança, é preciso avaliar o que exatamente se pretende proteger e qual a sua amplitude.
Faça um levantamento dos ativos do seu provedor e os classifique, de acordo com a sua preferência. Avalie qual o grau de risco e vulnerabilidade desses ativos, incluindo seus pontos fracos. Após isso, deve-se analisar cada falha e definir o que fazer para fortalecer a segurança do sistema.

Com todo o processo realizado, é importante formalizar normas e padrões a serem seguidos dentro da empresa, criando uma política. Em seguida vem a fase da infraestrutura de tecnologias, onde há a aquisição de ferramentas, instalação e configuração de soluções e criação de projetos específicos.

Por fim, e não menos importante, chega a fase de gerenciamento, que deve analisar a infraestrutura disponível na empresa e se a mesma é compatível com o sistema escolhido. Também há etapas como a auditoria de processos,
revisões, testes e é claro, a gestão de falhas, quando essas ocorrerem.

E como anda a segurança de rede no seu provedor? Quais desafios você e sua equipe já enfrentaram em relação a esse tema? Para mais artigos sobre gestão e segurança, clique aqui!

...